Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Desafio de Escrita

Tema #10 Sarin

18
Nov19

soldier with twins.jpg

Entre a missão e o destino

Os primeiros chegaram apressados. Entraram velozes, cegos pela claridade depois de escuros e intermináveis túneis de fuga. Durante a evacuação poderiam talvez usufruir da paisagem que se avistava do lado de lá da barreira de plástico; por agora, teriam de preparar o espaço para o pelotão que não tardaria. Não tardou. Na pressa da chegada, alguns soldados houve que, de tão ansiosos, chocaram contra a barreira e ali ficaram, como que tapetes para os que neles tropeçaram uma e outra vez até se indistinguirem na confusão de corpos. E continuaram a chegar, atropelando-se numa algazarra feliz de quem corre para o seu destino. Quando os últimos apareceram, arquejantes e a espaços, ouviu-se alguém perguntar, talvez o das comunicações, Já chegamos? Já chegamos? É que, não sei se têm noção, mas isto aqui não é muito confortável, e ainda vamos a meio da missão… A resposta não tardou, Não, não chegamos! É preciso mandar vir mais um contingente!

Os do segundo contingente entraram mais lentamente, acomodando-se com força onde cabiam. Olharam em volta e, perante a desorganização, não puderam deixar de pensar nos riscos que corriam. Sabiam que o ataque seria pouco ortodoxo, mas, ainda assim, temiam que os houvessem enganado no Gabinete de Voluntários.

Chegada a ordem de marcha, todos sentiram estar feito o mais fácil - dali em diante a missão seria tão árdua como delicada e, apesar de irmãos de armas, no terreno teriam de trabalhar cada um por si. Voaram votos de boa sorte, o pelotão concentrado no embalo do transporte. De repente, sentiram-se girar, uma avaria, talvez, a rotação a todos deixando lívidos. Quando pensavam não aguentar, o transporte imobilizou-se, as pernas embatendo-se na inércia mas todos vivos.

Ainda zonzos, perceberam sombras e silvos na distância. Um dos mais resistentes perguntou afoito, Já chegámos? Já chegámos? nada mais perturbando a apreensão que os calava. Mesmo assim maltratados, contavam ser lançados em pequenos grupos que atacariam por fases, cada soldado tentando anular as defesas do objectivo até que algum conseguisse entrar no sistema e daí dominar as instalações. Nisto pensavam todos, preparando-se para o seu melhor, quando avistaram o cano de aço a eles apontado. Suspiraram, irmanados também no reconhecimento do fim. Os movimentos com que os haviam enfraquecido tinham sido propositados: não os queriam para ataque. Não. Na ânsia de saírem em missão, haviam-se afinal oferecido para um teste de fertilidade sem óvulos no horizonte.

Tema da semana: Já chegamos? Já chegamos? 

Sarin escreve aqui

Acompanha todos os posts deste desafio aqui

Segue-nos na nossa página do facebook