Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Desafio de Escrita

Tema #1 - Belinha Fernandes

19
Set19

O pai acordara novamente de rabo para o ar. O Luisinho ouvira esta expressão na boca de uma auxiliar do Jardim de Infância e, desde que a mãe lhe dissera para não dizer rabo, nunca mais ousou pronunciá-la. Estavam a tomar o pequeno-almoço, já vestidos para sair.

- Pai, sabes qual é a diferença entre um gafanhoto e um louva-a-deus?

- Bebe o leite antes que arrefeça, filho.

- Mas, pai, eu bebo sempre o leite frio, pai.

O pai segurava o pão integral com a mão esquerda e mastigava roboticamente cada dentada. A mão direita elevava a chávena almoçadeira à boca como a pá da máquina escavadora nas obras da rua da escola. O seu olhar andava longe.

- Bebe isso, filho. O trânsito está difícil na rua da escola. Queres chegar de novo atrasado?

O Luisinho fitou o íman no frigorífico: “Não cresças. É uma armadilha.” Sempre que a mãe ia aos congressos internacionais, o pai ficava estranho. Desta vez perguntou-lhe o que ele tinha.

- Problemas, apenas problemas. Coisas dos adultos, filho. Bebe o leite, vá lá.

O Luisinho ficou intrigado. Coisas dos adultos? Durante o dia, na escola, o Luisinho também tinha muitos problemas. A professora projectava no quadro problemas de livros - ANA RECEBEU UM LIVRO NO NATAL. JÁ LEU 129 PÁGINAS. FALTAM 87 PÁGINAS PARA ACABAR DE O LER. QUAL O TOTAL DE PÁGINAS DO LIVRO?- e problemas gulosos - PARA A FESTA DE ANIVERSÁRIO A MÃE ENCOMENDOU 3 CENTENAS DE BRIGADEIROS E 5 DEZENAS DE QUEQUES. QUANTOS DOCES ENCOMENDOU A MÃE? Não era só o pai que trazia problemas para casa. Ele também: TENS UM ESTOJO COM 46 LÁPIS MISTURADOS E DESSES, 13 SÃO AZUIS. QUANTOS LÁPIS DE OUTRAS CORES GUARDAS NO TEU ESTOJO? Este problema era até um verdadeiro enigma porque o Luisinho nem tinha 46 lápis no estojo, apenas 12, um de cada cor.

Ao jantar, os dois sentados à mesa, de banhos tomados e roupões vestidos, o pai comunicou:

- A mãe regressa amanhã. Vou buscá-la de tarde ao aeroporto.

O Luisinho, olhos baixos na sopa, girava a colher no prato desenhando um círculo infinito.

- Come a sopa, filho. Vá lá.

- Está quente.

- Assopra, filho.

O Luisinho soprou e a sopa voou para a toalha. A cor de cenoura alastrou no linho cru.

- Luisinho! Andas impossível, filho! O que se passa?

- Problemas, apenas problemas, pai.

 

Tema da semana: Problemas, só problemas

Belinha Fernandes escreve aqui

Acompanha todos os posts deste desafio aqui

Segue-nos na nossa página do facebook

 

Tema #1 - Milu em

19
Set19

O tema do desafio desta semana já saiu. No que me fui meter!

Hoje é 4.ª feira, a Sarin diz que depois da tempestade vem a bonança pois é verdade, mas a minha tempestade é num copo de água que está debaixo de uma torneira que pinga, continuo sem inspiração nenhuma.

Só problemas!

Se o Ártico estivesse tão frio como a minha inspiração não estaríamos a assistir ao degelo assustador das calotes polares e com ele os Inuíte não estariam a um passo de perderem para sempre o seu modo de vida tradicional, os seus costumes e tradições que foram passados de pais para filhos durante gerações, sempre com o máximo respeito pela mãe natureza.

Não estaria a aumentar o nível de água nos Oceanos que põe em risco não só as pequenas Ilhas do Pacífico onde os turistas gostam de “entrar em contacto com a natureza”, mas todos os países com terras ao nível do mar, incluído o do líder EsTrumpf.

Não estaria a aumentar a temperatura do mar que está a destruir a grande barreira de coral da Austrália e a provocar tempestades e furacões cada vez mais violentos, que se alimentam e ganham força, entre outros fatores, da temperatura da água, etc.

5.ª feira e mais problemas!

O ginásio onde vou passear as sapatilhas tem uma consulta de nutrição incluída, hoje tive consulta, pus um ar confiante e subi à pobre da balança que refilou logo!

Pensei logo em soluções para o médico de família não me por a pão e água, sem pão.

- O Ti Jacinto anda a fazer ginástica com a PT Cátia uma moçoila jeitosa que anda a puxar por ele de tal forma, que já tem que ser a Ti Rosa a vestir-lhe o equipamento (que ele insiste em usar embora não caiba bem dentro dele).

- O Sr. Aminoácido e na Charneca em Flôr devem ter lá uns detox na Farmácia, mas andam a escrever textos atrás de textos para o desafio dos pássaros, para depois escolherem o melhor.

- O Doutor Dr. abriu consultório há pouco tempo ainda pode ter consultas, vou tentar marcar.

Mais problemas! E grandes!

A hora da publicação do texto!

Às 15 horas de 6.ª feira, estou a trabalhar, o patrão não vai achar piada nenhuma à brincadeira!!!

Por isso vou deixar as publicações agendadas à hora de almoço!

 

Tema da semana: Problemas, só problemas

Miluem escreve aqui

Acompanha todos os posts deste desafio aqui

Segue-nos na nossa página do facebook

Tema #1 - Maria João

19
Set19

Não haveria título mais adequado para este primeiro desafio: problemas, só problemas. E agora, como é que eu vou descalçar esta bota? Meti-me nisto, convém que saia airosamente ou pelo menos que faça boa figura, quanto mais não seja no primeiro texto.

O maior problema dos problemas, é que têm vários significados, podem ser questões, charadas, perguntas, impasses, enigmas, distúrbios, doenças e falhas e ainda aborrecimentos e contrariedades e ainda, para ter mais o que escrever, a superficialidade dos problemas ou a sua profundidade dependem dos vários pontos de vista e do impacto que irão causar.

Somos animais de hábitos, e como tal, tudo o que altera o nosso ritmo normal, ou melhor o nosso hábito, vai tornar-se em um problema. E nessa altura, em vez de vermos o problema como uma mudança na nossa rotina que nos pode levar a buscar novos conhecimentos e atitudes para o resolver e o vermos como uma ponte, preferimos vê-lo como um muro que nos trava, mesmo que apenas por algum tempo, como se de repente nos surgisse uma incapacidade, que pode ser permanente ou temporária e nos transtorna o nosso ritmo “normal”.

Os problemas obrigam-nos a pensar e a por em ação o que aprendemos na vida; levam-nos a quem nos possa ajudar; levam-nos a procurar o porquê dos mesmos, ainda que em algumas alturas não os consigamos solucionar, pelo menos de imediato.

Mas quando os ultrapassamos, alguns até podem levar tempo, de certeza, aprendemos coisas novas e aprendemos novos hábitos. Descobrimos que somos mais do que éramos até ali e que afinal até conseguimos ser fortes, quando nos achamos fracos, que temos amigos quando nos víamos sós e que afinal há algo mais para além da nossa vida habitual e rotineira.

E o que fazer, quando nos surgem problemas? Agradecer, não porque nos surgiram problemas na vida, mas porque iremos ultrapassá-los e aprender com eles.

As provações fortalecem-nos e umas servem para resolver e enfrentar as outras. Porque, neste mundo, neste momento, embora o nosso desejo seja esse e até haja quem pense que sim, não vivemos no paraíso e os problemas podem surgir a cada passo. Mas os problemas (são) só problemas, e os problemas resolvem-se e se forem partilhados resolvem-se mais facilmente e não provocam tanto dano.

Tema da semana: Problemas, só problemas

Maria João escreve aqui

Acompanha todos os posts deste desafio aqui

Segue-nos na nossa página do facebook

Tema#1 - Triptofano

19
Set19

Toc, toc, toc,

os tacões de Célia ecoavam furiosamente na rua semi-deserta banhada pela luz palidamente esverdeada da cruz da farmácia.

Toc, toc, toc,

mais cinco minutos e estaria oficialmente atrasada, e Célia nunca se atrasava para nada, por isso bateu ainda mais furiosamente com os tacões nas pedras da calçada enquanto alcançava a porta da farmácia.

Entrou de rompante mas nem isso pareceu despertar da sua letargia o homem com uma bata branca puída que se diria não trabalhar naquela loja de medicamentos mas sim fazer parte dela, numa estranha relação simbiótica entre carne e cimento.

Preciso de algo para tratar uma irritação dos grandes lábios. E não pode ser em pomada que fico toda pastosa! - pediu Célia assertivamente.

O homem, semi-cerrando os olhos, inclinou-se lentamente em direcção à cara dela.

Não é nesses lábios - exaltou-se Célia, ela que era uma mulher calma a não ser que estivesse atrasada - é nos de baixo! Veja!! - e mostrou uma foto dos seus lábios vaginais ao homem de bata branca.

A expressão dele não se alterou nem um milímetro, enquanto olhava a imagem pixelizada que Célia lhe mostrava.

Talvez fosse um verdadeiro profissional. Talvez já tivesse visto muitas conas na vida e aquela era apenas mais uma. Talvez nem percebesse que zona anatómica era aquela.

Depois de eternos segundos, o homem virou-se e alcançou um spray azul metalizado com a cara dum bebé anafado estampada.

Borrifa a zona duas a três vezes por dia até melhorar. - disse o homem da bata branca monocordicamente.

Ok, obrigado, posso usar a sua casa-de-banho? - perguntou Célia enquanto atirava uma nota para cima do balcão.

Lamento, mas está avariada.

Célia olhou em volta. Além deles apenas uma idosa encontrava-se a medir a tensão, apesar da máquina dizer fora de serviço.

Num gesto rápido subiu o vestido, baixou as cuecas e borrifou abundantemente a zona irritada com o spray metalizado, perante o olhar inexpressivo do homem.

Toc, toc, toc,

ainda estava a tempo, era apenas virar a esquina e chegaria a horas.

Alcançou num salto a campainha do prédio que ressoou na imensidão da vastidão da solidão.

Enquanto a porta vagarosamente abria-se, Célia consultou a agenda do telemóvel. Em hora e meia tinha que estar com outro cliente, no lado oposto da cidade.

Problemas, só problemas...e ela que antes pensava que a vida de puta era só facilidades...

 

Tema da semana: Problemas, só problemas

Triptofano escreve aqui

Acompanha todos os posts deste desafio aqui

Segue-nos na nossa página do facebook

Tema #1 - Osapo

18
Set19

#55 | Os problemas em grupo ... à Jacinto claro!!!

O meu primo Alfredo casa daqui a duas semanas.

Ele e a Vera fazem um casal giro mas diferente. Ela é organizada, metódica e segura (preparou-se para casar). Ele é caótico, irresponsável e farrista (ainda não percebeu que vai casar).

Sim, ele sabe que fazem sexo. E oxalá seja "à fartazana". (Percebi "canzana",erradamente). Mas casar não é só isso.

Preocupado, o tio Jacinto resolveu sensibiliza-los para os desafios dos pássaros que vão enfrentar.

No sábado passado, sentaram-se à varanda. A Rosa fez bolo de ananás, pastéis de bacalhau e moelas. Havia broa, cerveja e sumol de maracujá.

Eles estavam nervosos (a Vera desconfortável). O tio tinha prometido à mulher que seria cauteloso e que nunca "ordinário" com a moça (ela queria o Alfredo fora de casa e a Vera era a solução).

"- Bom, queria falar convosco por causa do casamento. É bom, mas também traz muitos problemas, e quero saber se sabem o que fazer quando acontecer", disse o tio.

A Vera estremeceu e o Alfredo agarrado às moelas com um palito na boca.

"- Sim Sr. Jacinto, nós amamo-nos e vamos ser muito felizes juntos", disse a Vera.

A tia Rosa soltou um suspiro de alívio: "- Oh filha, claro que vão e se o menino portar-se mal eu ponho-o na linha".

O Alfredo espantado porque já sobrava para ele.

"- Queria dar-vos o conselho que usamos e por isso somos um casal invejado na freguesia", diz o tio.

A Vera sorriu, e sentou-se melhor na cadeira. Apoiou-se na perna do Alfredo mas nem reparou.

O tio Jacinto disse então: "- No casamento são dois a trazer problemas, mas não são dois para os resolver. Para evitar confusão devem dividir os problemas entre grandes e pequenos e cada um trata de um grupo".

"- Que problemas ficaram com a Dona Rosa?", interessou-se a Vera.

"- Por amor, deixei a Rosa ficar com os problemas pequenos: os filhos, a casa, a comida, as festas, essas coisas mais fáceis", disse o tio.

"- Eu fiquei com os grandes problemas: calendário do sexo e a posição, política, economia, guerras e terrorismo, UE e a ONU,  coisas chatas e complicadas".

"- E para piorar, enquanto a Rosa diminui os problemas com que se preocupar, o Alfredo vai ser menos um, eu vou aumentando. Agora ando preocupadíssimo com as alterações climáticas, a Amazónia e o Brexit", exclamou constrangido mas solenemente.

 

Tema da semana: Problemas, só problemas

Osapo escreve aqui

Acompanha todos os posts deste desafio aqui

Segue-nos na nossa página do facebook

Tema # 1 - Pó de Arroz

18
Set19

Problemas, só problemas

Um tiro certeiro, mesmo em cheio no alvo.

Só podia ser este o primeiro tema! Problemas e mais problemas. Depois de penar pensar um pouco sobre o tema, percebi que estou metida numa carga de problemas para fugir de um problema…. Pois eu sei… nada fácil de compreender….

Mas eu passo a explicar:

Apercebi-me que me estava a arrastar para o fundo do poço… sem luz, escuro, frio e húmido… a vida não estava a ser vivida… estava a ser sobrevivida. O ponto alto do dia era estar sentada no sofá a olhar para o telemóvel…estava mesmo, quase, quase a entrar em modo zombie e decidi que precisava de fazer qualquer coisa. Acordar!

Há sempre problemas, as coisas nunca são como queremos, o dinheiro nunca chega, as pessoas dificultam sempre tudo e reagem de formas estranhas e violentas…

Então agarrei em mim e sacudi até ficar com as cabeça toda chocalhada… então várias ideias começaram a surgir lentamente.

Estou a começar a aprender a viver novamente e a deixar de lado os medos que se transformam em problemas. Há tanto para fazer e experimentar! Porquê é que me estava a limitar tanto…. Alterar a minha linha de visão e transformar os problemas em hipóteses e aceitar que nem sempre as coisas ou situações têm de ser o azul que eu quero, mas podem ser do azul, conforme o céu estiver. 

 

Tema da semana: Problemas, só problemas

Pó de Arroz escreve aqui

Acompanha todos os posts deste desafio aqui

Segue-nos na nossa página do facebook

 

Tema #1 - Charneca em Flor

18
Set19

Sofia não conseguia adormecer. O dia tinha sido muito complicado. No emprego tinha tido uma grande discussão que tornara o ambiente pesado. Quando chegou ao carro, descobriu que alguém lhe tinha amolgado o pára-choques e nem se tinha dignado a deixar o contacto. O marido estava cada vez  mais acomodado e as suas noites eram rotineiras e pouco românticas. Desabafara as suas mágoas no blogue e, agora, suspirava ao olhar para as vidas perfeitas do Instagram. Ela dava tudo para ter um quotidiano, assim, glamoroso.

De repente formou-se uma névoa à volta do seu telemóvel de onde surgiu um belo jovem, igualzinho ao Lourenço Ortigão.

- Boa noite. Eu sou o génio do Instagram. Estou aqui para realizar os teus desejos.

Sofia estava estupefacta. Olhou para o lado para ver se o marido tinha acordado mas ele dormia tão profundamente que até ressonava.

- Mas, mas… isto não pode estar a acontecer. Nunca ouvi falar de um génio do Instagram.

- Eu só apareço em situações especiais. Afinal, o que é que precisas para ser feliz?

Sofia ficou muito atrapalhada.

- O que eu mais desejo é viver uma vida como estas que aparecem no Instagram.

- Tens a certeza? Então assim seja.

Sofia acordou para um novo dia. O seu quarto estava perfeito, sem sinais da desarrumação habitual, O marido aparece com um tabuleiro. Quer dizer parece o marido dela, Gonçalo, mas está diferente, com um físico invejável.

- Então, dorminhoca? Estamos atrasados para o ginásio. Tens aqui a tua granola. Hoje temos um dia cheio.

Mas quem é este? O Gonçalo nunca pôs um pé num ginásio, pensou Sofia. Nem queria acreditar no que ouvia

Mas isto foi só o princípio. Sofia entrou numa roda-viva de treinos, encenação de stories para a sua página de Instagram, fotos e mais fotos em poses impossíveis para alimentar a ânsia voyeurista dos seus mais de 20 mil seguidores. Não sabia quanto tempo iria aguentar naquela montanha-russa.

- Acorda, Sofia. Estás a ter um pesadelo. – Sofia acordou com Gonçalo a abaná-la.

- O que aconteceu? – acendeu a luz e olhou em volta. Estava, novamente, no seu quarto de sempre.

Tinha sido um sonho, ou melhor, um pesadelo. Ainda bem. A vida de Instagram não era para ela. Mal por mal, preferia a sua vida anónima e verdadeira mesmo com problemas. E já não aguentava comer panquecas durante mais tempo.

 

Tema da semana: Problemas, só problemas

Charneca em Flor escreve aqui

Acompanha todos os posts deste desafio aqui

Segue-nos na nossa página do facebook

 

Tema #1 - Peixe Frito

18
Set19

A bela da sexta-feira 13!
 

“Problemas, só problemas!” barafustam as pessoas que são supersticiosas, ao chegarem a uma sexta feira 13, pensando como vão engedrar um plano perfeito para passarem o dia sem tentarem a sorte e retornarem inteiros ao conforto do lar.

Uno - Devem de começar a manhã, logo a sair da cama com o pé direito, pois não vá o diabo tecê-las - mas podem sempre torcer o pé. Digo eu, que não sou de intrigas.

Dos - Nesse dia, devem de estar especialmente despenteados, mal amanhados, maquilhagem mal pintada, armados em Beetlejuice, dado que não se vão atrever a olhar em um espelho e correr o risco que esse se parta, nem que seja só com um bafinho da respiração.

Trois – Vão-se forrar de amuletos – coitados dos coelhos, ficarão pernetas – antes de sair de casa.

Quatre - Vão sair de máscara anti armas biológicas e químicas, pois o azar anda no ar e não vá alguém o respirar sem topar.

Cinco - Durante o dia, vão evitar olhar para os animais com que se cruzam, não vá ser um gato preto maléfico e fica tudo estragado - coitado mas é do gato que se atravessar à frente destas pessoas, que vão ficar brancos e escaganiçados com os berros e os enxotanços.

Meia - Devem conseguir evitar passar debaixo de escadotes, pois nas obras já usam mais andaimes e isso.

Sete - Se chover, vão andar a atar os chapéus de chuva com cordas e arames, não vá o animal lembrar de abrir dentro de um edifício e é logo arroz queimado.

Ocho - E escrever a data? Vão passar o dia a adiar tudo o que necessite de data, para o dia seguinte, só para não escreverem o fatídico, horrendo, sangrento… 13.

Nueve - Vão estar de antenas no ar e virar verificador de resistência de materiais, pois vão passar o dia a bater na madeira, para que as palavras não ganhem vida e virem Gremlins na vida das pessoas.

Dez – Vão almoçar fora e mandar vir jantar por uber eats ou comer tudo sem sal, só pela possibilidade de derramarem sal no chão. Que tragédia!

Onze – Nem pensar em pôr a mala no chão! Nesse dia até vai andar suspensa.

Douze – Talheres cruzados?? Vão comer à mão, só por causa das coisas.

Treze – Nesse dia, nada de varrer, por causa dos pés!

Ainda bem que não sou supersticiosa. Trabalheira!!!

 

Tema da semana: Problemas, só problemas

Peixe Frito escreve aqui

Acompanha todos os posts deste desafio aqui

Segue-nos na nossa página do facebook

Tema #1 - Inês Pereira

18
Set19

A sério que vamos começar a falar de problemas?? Já estou a imaginar o campeonato pela taça de pessoa mais carregada de problemas do planeta Terra. Na verdade, até não estou. Ainda tenho fé nos resistentes que continuam a povoar a blogosfera e penso que todos vamos dar a volta ao tema e encontrar uma forma divertida de falar de problemas, mal de que ninguém se safa, seja qual for a proporção de carga de cada um.

Não sou excepção à regra e, portanto, cá carrego os meus problemas, sempre sem permitir que eles se tornem no centro do meu pensamento. Tenho duas categorias de problemas. Os que posso resolver e os que não posso fazer nada. Nos primeiros, penso e analiso até encontrar a solução mais adequada. Nos segundos, chegada à conclusão de que não há nada a fazer, atiro para trás das costas e não lhes dou mais atenção. Nesse caso, o que tiver de ser, será.

Infeliz ou felizmente, não somos todos iguais e outros terão outras formas de lidar com os seus problemas. Os meus favoritos são ainda aqueles que encaram um problema e nele conseguem ver uma oportunidade. São os tão populares empreendedores, que chegaram para ficar e que prometem tomar conta do mundo.  

Agora, o que importa reter é que não controlamos a maioria dos problemas que nos chegam, mas controlamos sempre a forma como lidamos com eles e como os resolvemos. E estamos sempre a tempo de começar a encará-los de forma diferente, aprendendo com os erros cometidos no passado.

 

Tema da semana: Problemas, só problemas

Inês Pereira escreve aqui

Acompanha todos os posts deste desafio aqui

Segue-nos na nossa página do facebook

Tema #1 - Miss X

18
Set19

A problemática de um problema reside na sua existência.

A existir será um problema e quando imaginado exerce em plenitude a sua existência não existindo.

O problema dos problemas é que teimam em aparecer sem convite, deselegantes, rasgando planos, respirando fúrias sem ar, riscando acasos aleatórios, fazendo corar os deuses pela sua inépcia e falta de imaginação.

A não existir há que deixá-lo tomar corpo, dar-lhe luz para outros tantos, para sermos atingidos pelo punho de uma hipérbole,  enquanto nos demoramos na espera pela anarquia imaginária.

Um problema raramente o é.

São asas de borboleta escondidas numa equação onde o caos é matemático e faz sentido.

 

Tema da semana: Problemas, só problemas

Miss X escreve aqui

Acompanha todos os posts deste desafio aqui

Segue-nos na nossa página do facebook