Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Desafio de Escrita

Tema #2.3 - Tótó

17
Fev20

Mas onde é que eu vim parar? Eu estava a ver um filme normalíssimo, baseado na vida real de um mulher que teve uma ideia e concretizou-a. Eu não queria participar num filme terror, muito menos correr a meia maratona. Esta gente é doida, a vida no campo mais parece um inferno. O que é isto? F&%@%:%&#. Faz o favor de acordar!!! Jááááá!!!!

-Eustáquio! Eu disse-te quéla ia pró terreno dos toiros!

-Ó cum catano! Estas riquinhas da cidade vêm pra terra fazer o quêi? Respiram ar puro ficam logo todas drógadas. Valha-me Nossa Senhora!!! Toiro! Vá lá pra dentro! Vai! Ó moça pire-se daí mas é! Vá ter ca nha Lurdes, tá ali à frenti!

-Euuuu?? Nem pense!! Você quer matar-me! Já vi muitos filmes a começar por menos! Eu hei-de safar-me.

-Como queira moça mas se continuar prá frente vai encontrari os toiros bravos e com essis eu na me meto! Adeus e boa sorti! Lurdinhas, o problema destes jovens é filmes a mais e pouca enxada!

-Espere aí! Esperem! Ok, eu vou com vocês. Mas eu preciso de acordar para voltar para casa.

-Eustáquio. Eu acho quéla foi aos vasos da estufa...Tu na tás boa da cabeça moça. Vou ligar ao Chico Polícia para te levar pra casa. "Tenho que acordar pra ir pra casa." Realmente esta juventudi tá memo perdida...

-Oiça, isto é um sonho OK? Eu sei que é difícil vocês acreditarem em mim mas não duvidem, vocês não são reais e de certa forma, eu também não sou. Aqui não sou. Eu só preciso de encontrar uma música e volto logo para casa.

- Na sêi sacredito nisso…Eustáquio, resolve!

-Moça, vamos ter cu Padre Serafim, o quer que seja que você tanha, ele ovi-a.

-Rrrrrr!!! Vocês são loucos!!! Só me faltava um exorcismo!!! Bem, têm lá um órgão? De música?

-Têm pois. A nha Lurdes tocava trompa na Filarmónica e metia as mãos no órgão da igreja aos sábadus à tarde…Alembraste Lurdinhas? Os sábadus na sacristia…

-Eustáquio. A gente na conhece a moça, maroto. Mas olha podíamos escreveri um manual pra iniciar relacionamentos e dari a esta moça. Acho que tá precisando dum homi ou duma melheri…

Tema da semana: Manual para iniciar relacionamentos

Tótó escreve aqui

Acompanha todos os posts deste desafio aqui

Segue-nos na nossa página do facebook

Tema #2.3 - Silvana

17
Fev20

Dirigiste-te para a prateleira dos livros de não ficção. Tens somado várias relações falhadas. As tuas escolhas sempre se traduziram em homens que te faziam sofrer, que te traíam, ou que não te davam aquilo que esperavas de uma relação.

Serás que não estás errada? Será que não fantasias demais acerca das relações românticas entre homens e mulheres? Dúvidas e mais dúvidas que se multiplicavam na tua cabeça. Querias respostas! Precisavas de orientação romântica! Precisavas de amor. Talvez a resposta estivesse nos livros.

E ali estavas tu, na busca de um livro que te ajudasse a iniciar um relacionamento saudável. Um relacionamento onde recebias amor na mesma medida em que oferecias. Porque tu sempre sentiste que davas mais amor do que aquele que os outros deram.
Na capa, brilhava o título do livro onde pensavas encontrar a resposta às tuas inquietações: Manual para iniciar relacionamentos. Abriste-o e detiveste-te nas páginas sem pressa. Querias perceber se ele valia a pena. Se ele guardava as indicações preciosas de que tanto ansiavas.
O conteúdo deixou-te algumas ideias para desencadeares situações onde pudesses conhecer pessoas que fossem de encontro à tua personalidade. Em seguida apareciam indicações sobre como desenvolver a relação até culminar em todo o romantismo que desejavas. Tomaste a decisão de levar o livro.

Aquilo que não sabias é que não irias precisar dele. Do outro lado da sala havia alguém cujo olhar de predador se fixou em ti. Observou cada um dos teus passos, analisou as tuas expressões faciais enquanto os teus olhos vagueavam pelas palavras impressas no livro que achavas guardar a tua felicidade.

Ele segui-te durante dias. Ficou a conhecer as tuas rotinas, procurou saber os teus segredos. Num simples passeio pelo parque, esbarrou propositadamente contigo para que a tua pasta caísse ao chão e alguns documentos se espalhassem. Ativou o ar de cavalheiro e ajudou-te a apanhar tudo. Olhou-te nos olhos de uma forma sedutora e calorosa. Daí a estarem a partilhar um café numa esplanada ali perto foi um ápice. Ele adotou o comportamento que sabia que te iria conquistar.

Um café deu origem a um lanche. Um lanche transformou-se num jantar e quando mesmo esperavas estavas presa na teia dele. E ele, tão ciente das suas necessidades animalescas, tinhas uma certeza: não devias ter pegado naquele livro. Num dia, após um jantar ele mostrou-te o lado mais negro do amor e ofereceu-te o silêncio eterno.  

Tema da semana: Manual para iniciar relacionamentos

Silvana escreve aqui

Acompanha todos os posts deste desafio aqui

Segue-nos na nossa página do facebook

Tema #2.3 - Joana Rita Sousa

17
Fev20

antes de mais nada...

...diz-lhe OLÁ.

seja na carruagem do metro, no café da aldeia, no bar da escola, na sala de espera do consultório.

... diz-lhe OLÁ.

usa o whatsapp, o facebook, o twitter, o instagram. 

...sorri

usa um emoji ou a tua própria cara. mas sorri.

...diz a verdade.

diz-lhe se estás com vergonha, se não sabes onde pôr as mãos, se deves pagar-lhe o café, se já a/o seguiste no caminho para casa, só para ver em que rua morava (hey, não sejas stalker). se fores casado/a, diz-lhe também. só para não haver surpresas mais tarde. 

...diz-lhe o que queres.

mesmo que seja algo que ela/e não quer. assim ficam a saber e podem conversar sobre o que ambos querem e o que ambos não querem.

...diz que sim. e diz que não.

 

lembra-te: tudo começa com um olá. e quando o olá já não tem sentido, dizemos adeus. venham outros olás.

Tema da semana: Manual para iniciar relacionamentos

Joana Rita Sousa escreve aqui

Acompanha todos os posts deste desafio aqui

Segue-nos na nossa página do facebook

Tema #2.3 - Mami

17
Fev20

cá estamos nós em mais um dia dos namorados, um dos dias mais comerciais e menos românticos do ano.

numa perspetiva de utilidade pública - atribuindo algum valor a este dia -, a mami vai partilhar com tod@s os encalhad@s o seu best-seller “manual para iniciar relacionamentos”. como sabem a mami é especialista em estudos científicos sobre a atração entre os seres humanos (podem consultar os estudos aquiaquiaqui e aqui apresentados).

o manual para iniciar relacionamentos by mami é constituído por vários capítulos. hoje partilho convosco o capítulo 1 - o que fazer para iniciar um relacionamento com um desconhecido.

se seguir rigorosamente os oito passos abaixo apresentados estará garantido o início do relacionamento:

1- escolha o alvo;

2- analise o alvo – deverá fazer uma rápida avaliação exterior para compreender as suas escolhas no vestir, na alimentação, na bebida… assim poderá adequar o seu comportamento às preferências do seu alvo;

3 - consiga que o alvo lhe seja apresentado (conheça um dos seus amigos/as, a mãe/o pai, a prima/o, a vizinha…escolha o elemento mais acessível e faça com que o/a adore);

4 - mostre desinteresse quando o alvo lhe for apresentado, dê preferência aos outros elementos do grupo e nem pensar em pedir amizade ou seguir nas redes sociais! se o alvo lhe enviar um convite ou o seguir aguarde pelo menos 48h para retribuir;

5 - após conhecer o alvo faça com que ele/ela repare na vossa extrema compatibilidade – vestindo o mesmo estilo, optando pelo mesmo tipo de alimentação (carnívora, vegetariana, vegan, …), consumindo ou evitando bebidas alcoólicas – consoante a opção do alvo;

6 - após serem apresentados absorva informações essenciais (através do alvo ou da sua rede social – presencial ou virtual): religião, política, postura sobre assuntos essenciais (conflitos internacionais, subsidiariedade, ambiente, eutanásia, casamento, filhos, …) e já sabe, aproveite todas as ocasiões para mostrar que pensa como ele (em conversas de grupo, em compromissos agendados, em post nas redes sociais, em likes em páginas);

7 - quando surgir o primeiro convite para um encontro a dois, mostra-se hesitante, afinal nunca reparou bem nele/nela; aceite mostrando que o faz por simpatia;

8 - arrase na sua imagem para o encontro e dê-lhe sinais de que começa a reparar nele/nela. nesta fase “estará no papo” e você estará a dizer-lhe “podes avançar”.

 

parabéns o seu objetivo será atingido com sucesso e, para o manter, viverá uma farsa para o resto da vida!

Tema da semana: Manual para iniciar relacionamentos

Mami escreve aqui

Acompanha todos os posts deste desafio aqui

Segue-nos na nossa página do facebook

Tema #2.3 - Bla Bla Bla

17
Fev20

Estando eu num relacionamento há bem mais de uma década não serei com certeza a pessoa mais indicada para fazer este tipo de considerações... estou desatualizadíssima com certeza e o facto de não usar redes sociais não deve abonar muito a meu favor já que coisas tais são hoje imprescindíveis para o efeito.

Mas eis que o titulo apenas diz “relacionamentos” sem indicar de que tipo e, portanto, propus-me a elaborar um mini manual para iniciar relacionamentos de vários tipos (e saiu uma bosta mas foi o que se pôde arranjar).

 

Relacionamento Laboral

Honestidade meus amigos!

Não vale a pena irem para uma entrevista de emprego dizer que são a última bolacha do pacote, que sabem, fazem e acontecem, que já fizeram tudo e que estão disposto a qualquer coisa e outro tanto só para assegurarem a vossa contratação.

Mais tarde ou mais cedo vai ser exigido provas concretas do que foi assegurado.

 

Relacionamento Amigável

Disponibilidade.

Esta regra vale tanto para iniciar como para manter uma amizade.

Os amigos são para estar disponíveis sempre que necessário, nos bons e maus momentos.

 

Relacionamento Amoroso

Provavelmente todos os manuais indicariam que para se procurar um relacionamento amoroso se deveria começar por criar um perfil modesto numa das várias app’s de encontros nas quais apenas se deveria inicialmente trocar apenas mensagens escritas com um desconhecido com o qual se fez match, para tentarem encontrar interesses em comum e só em encontrando e ao fim de um período mínimo aceitável, se deveria avançar para o encontro pessoalmente.

Eu sugiro uma coisa louca e diferente que é falar com uma pessoa que vos interesse frente a frente, convidarem-na para saírem, para beber um copo ou para jantar, conversarem.

Eu sei que saltam imensos patamares… que loucura, eu sei!

 

Relacionamento Parental

Outra proposta arrojada: sejam pais!

Não se deve privilegiar o papel de amigo face ao papel de mãe/pai… e há por aí muitos pais que pensam também que educar é na escola.

 

Relacionamento Sexual

Se for uma mulher a querer basta dizer "Bora!"

Se for um homem a querer... já falei disso aqui, estas são algumas das coisas que resultam comigo.

Aqui só tenho a acrescentar mais isto:

hudoing.gif

Tema da semana: Manual para iniciar relacionamentos

Bla Bla Bla escreve aqui

Acompanha todos os posts deste desafio aqui

Segue-nos na nossa página do facebook

Tema #2.3 - Pedro Vorph Valknut

17
Fev20

Engodei o amor com os restos da vida, esgotado o manual para iniciar relacionamentos. Inteirei-me ao avesso, imaginando ouvir no não, consentimento, sentindo no Prelúdio, somente, o frio punhal do Final. A nada dei começo. Vivi viciado no fingimento do real. Por amar demais, muito cedo, no final, nada ficou. Guindado num desamor desorientado, pulsei de uma ninharia para outra, sem jeito nenhum. Se fui feliz, fingindo? Mas que outra coisa há, na vida, senão dissimulação, sendo a consciência a sua mais perfeita fabricação? Iludidos, por ela, fizemos excepcional o ordinário, do sexo ferino, o amor-beato, do interesse egoísta, a glorificada amizade (dos amigos exigimos sacrifício). Espanto, porquê? Reservemos as tredices para o bufão. Como somas nulas foram todas as minhas adições. A paixão teve em mim a densidão de uma ideia aérea. Um ser-amado, um amor rimado, foram-me, meramente, nascedouros de desilusão. Sempre houve mais afectividade simulada do que estima concretizada. Ainda criança, deitei ao Mar das Sensações essas ocas ideias, como balelas de salvação, na toa ilusão de um conhecimento que, pensado profundo, foi sabido à tona, no marejar da corrente inata da ficção (a realidade de hoje é somente um sonho bem lembrado). Que é isto tudo, estas verdades, nestas veredas, senão mentiras acordadas? E depois, há uns instantes, como os de agora, que emprenham o pensar, dando-me à luz num outro, que me dita: "sem darmos fé, dar-nos-emos ao deus a quilómetros de nada."

Tema da semana: Manual para iniciar relacionamentos

Pedro Vorph Valknut escreve aqui

Acompanha todos os posts deste desafio aqui

Segue-nos na nossa página do facebook

Tema #2.3 - Ana Catarina

17
Fev20

“Amor e uma cabana” diz o povo quando se refere àquilo que necessita para ser feliz. In/felizmente não é bem assim que funciona. O amor em toda a sua simplicidade é mais complexo do que qualquer outro sentimento sentido à face da terra. É uma espécie de íman que atrai vários outros sentimentos e emoções, negativas e positivas, à medida que cresce. Todavia o amor não se limita a ser só um sentimento. O Amor é uma atitude, uma chave para o início de qualquer relacionamento seja ele amoroso ou amigável.

E não, não estou a dizer que devemos começar a declarar-nos uns aos outros, até porque o termo está bastante banalizado. Hoje em dia basta uma semana de namoro para sair um “amo-te” (poor Ted Mosby). Mas passado dois ou três meses já o estão a dizer a outra pessoa qualquer.

O amor, enquanto atitude, é ser-se gentil, honesto, paciente, alegrar-se nas conquistas, não maltratar, não procurar os seus próprios interesses…. Se quiserem saber mais é só lerem a Bíblia (1 Corintios 13:4-8).

As atitudes que temos uns para com os outros sem nos conhecermos são o gatilho para que algo nasça ou algo morra antes de nascer.

Inevitavelmente encontraremos sempre oscos.
É que a pessoa pode ser muito bonita, ter um olhar tão profundo quanto a Mariana’s Trench e mesmo assim, tal como ela, ter apenas lixo lá no fundo. Devemos ver além do que se vê (ou do que queremos ver).
«É simpático comigo, mas trata mal o operador de caixa sem razão…» Algo está errado. As atitudes que temos para com os outros revelam constantemente algo sobre nós.

Estas inconsistências originam-se, reiteradamente, na falta de amor próprio…  Parece cliché, mas todos os clichés têm uma pontinha de verdade.

Se eu não me amo a mim como é que vou conseguir amar alguém inteiramente?

Amarmo-nos não é narcisismo, nem é ter um ego do tamanho do Burj Khalifa. Amarmo-nos é entender que somos humanos, é sermos gentis também connosco, é reconhecer as nossas falhas e fraquezas, mas também as nossas qualidades. É perdoarmo-nos por coisas do passado e alegrarmo-nos pelas ínfimas coisas alcançadas.

Desse lado pode até não fazer sentido, mas, eu, com o tempo tenho aprendido que antes de iniciar um relacionamento com alguém, tenho de iniciar um comigo mesma, conhecer-me, aceitar-me, perdoar-me. Manuais e  ideais são irrelevantes se não os aplicarmos a nós em primeiro lugar. 

Tema da semana: Manual para iniciar relacionamentos

Ana Catarina escreve aqui

Acompanha todos os posts deste desafio aqui

Segue-nos na nossa página do facebook